3 dicas de como perder gordura localizada e entrar em forma

3 dicas de como perder gordura localizada e entrar em forma

A gordura localizada é por vezes muito resistente e exige três cuidados muito precisos para ajudar na sua eliminação

Mais comum do que se imagina, a gordura localizada tem um nome técnico de lipodistrofia localizada e é formada pela aglomeração de tecido adiposo em regiões específicas do corpo. “As principais regiões afetadas são aquelas consideradas mais flácidas, como culotes, barriga, braços e região abaixo do queixo (conhecida como papada). Uma característica comum desse tipo de gordura é que, geralmente, ela é resistente e deve ser tratada geralmente com a junção de um plano alimentar, a prática de exercícios (no geral os intervalados de alta intensidade) e o uso de tecnologias”, afirma a dermatologista Dra. Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

De acordo com a médica, o acúmulo de tecido adiposo e os locais onde ele se deposita estão relacionados com a predisposição genética da pessoa, seus hábitos alimentares, a prática de exercício físico e sua postura corporal. De forma geral, podemos afirmar que as principais causas do surgimento da gordura localizada são: consumo excessivo de alimentos gordurosos e ricos em carboidratos brancos; histórico de lipodistrofia ou excesso de peso na família (componente hereditário); sedentarismo (falta de prática de atividade física); má postura (o que pode fazer com que a barriga fique projetada para frente, por exemplo). “Os homens tendem a acumular mais gordura na região abdominal, enquanto que as mulheres apresentam uma maior quantidade nas coxas, quadril e glúteos. É importante destacar que a gordura localizada também pode trazer más consequências para a saúde das pessoas. Por exemplo, o excesso de tecido adiposo na região abdominal (principalmente nos homens) está relacionado ao surgimento de doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial e infarto”, diz a médica.

Para tratar, a dermatologista enfatiza a importância da tríade prática de exercícios, alimentação saudável e tratamentos estéticos.

Prática de exercícios – A prática de exercícios de forma regular pode ser uma ferramenta poderosa para eliminar o acúmulo de tecido adiposo, pois é uma forma de reduzir uma das causas. “Uma indicação atual para as pessoas que desejam perder peso e acabar com a gordura localizada são os treinos intervalados de alta intensidade, conhecidos como HIIT. Esses exercícios são de curta duração e com esforço físico elevado, combinando atividades aeróbicas, de força e resistência muscular”, afirma a médica. Esses exercícios podem ser associados à musculação para definição muscular. “A principal vantagem do HIIT é que ele contribui muito para a queima de gordura, além de fazer o metabolismo ficar acelerado até minutos ou horas depois que o exercício já foi encerrado”, diz.

Alimentação saudável – A melhor estratégia é a reeducação alimentar, uma vez que dietas extremas não podem ser mantidas a longo prazo. No geral, as recomendações são: reduzir ou eliminar o consumo de alimentos ricos em açúcar, gorduras saturadas e carboidratos simples (pães, bolos, massas); ingerir grandes quantidades de alimentos com fibras diariamente (leguminosas, grãos, farelos, farinhas integrais, vegetais, frutas); quando for consumir gorduras, escolher as “boas”, como: azeite, óleo de coco, abacate; reduzir o consumo de álcool; ingerir chá-verde diariamente, pois ele ajuda a acelerar o metabolismo.

Tratamentos estéticos – Para gorduras mais resistentes, os tratamentos estéticos funcionam muito bem quando associados à dieta e exercícios físicos. Dentre as melhores técnicas, a dermatologista destaca a criolipólise, a endermologia e a lipocavitação. “A criolipólise é uma técnica que utiliza temperaturas baixas para congelar a camada gordurosa e eliminar a gordura localizada, pois o frio quebra as células de gordura. O método pode ser utilizado em regiões do corpo que se adaptem ao aparelho”, explica. No caso da Endermologia, a médica destaca que o aparelho faz uma espécie de sucção na área tratada, o que gera o rompimento ou remodelamento das células de gordura do local. “Já a Lipocavitação é realizada por meio de um aparelho de ultrassom que emite ondas de baixa frequência que provocam cavidades nas células de gordura, causando seu rompimento e eliminação. O paciente deve ser criteriosamente avaliado antes de realizar esse procedimento”, finaliza a médica.

 

 

FONTES:

DRA. THAIS PEPE: Dermatologista especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, membro da Sociedade de Cirurgia Dermatológica e da Academia Americana de Dermatologia. Diretora técnica da clínica Thais Pepe, tem publicações em revistas científicas e livros, além de ser palestrante nos principais Congressos de Dermatologia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s